A crise venezuelana afetou seriamente os habitantes do país. O colapso econômico é muito difícil de ser descrito, mas se reflete em seus hospitais e pela escassez de recursos e falta de pessoal aumentando a cada dia. Em muitos centros médicos faltam itens de higiene básica como sabão, luvas ou antibióticos.

 

Meridith Kohut, uma fotografa do jornal americano The New York Times, foi capaz de capturar essas imagens chocantes que retratatam a realidade dos hospitais mais proeminentes e as suas condições deploráveis.

Em um dos hospitais visitados pela fotógrafa chamado Luis Razetti, os pacientes são vistos vagando pelos corredores ou deitados em camas em mau estado com sangue de vários dias. Outros estão amontoados no chão, pingando sangue com membros inchados. As crianças podem ser vistas em caixas de papelão sujas em corredores, sem comida, sem água e medicamentos.

 

Como a eletricidade foi cortada, muitas máquinas pararam de funcionar, por isso os médicos têm criado soluções práticas que ajudam como polias caseiras feitos com garrafas de água para os pacientes operados no pé.

 

Este homem tinha uma lesão cerebral craniana e perdeu metade de seu crânio. Isso foi há um ano e ainda está à espera de tratamento pós-operatório.

 

De acordo com o New York Times, os hospitais passaram meses em crise, os jornais destacam e relatou fatos diários como a morte de sete bebês por não terem tanques de oxigênio no centro médico. Assim, muitos hospitais e clínicas têm estado em crise grave, mostrando as mesmas condições.

Note que estas imagens foram capturadas enquanto o presidente do país, Nicolas Maduro, se gaba de que sua nação tem a melhores cuidados de saúde no mundo e se recusam a buscar apoio internacional para alterar o problema de saúde que existe na Venezuela porque, de acordo com a sua posição, eles querem a privatização dos serviços de saúde.

“Eu duvido que em outras partes do mundo, além de Cuba, exista um sistema de melhores cuidados de saúde do que isso.”

 

 

Infelizmente, aqueles que mais sofrem com esta crise é o povo venezuelano, porque a crise hospitalar não é o único problema do país. A eletricidade e os cortes de água tornaram-se recorrentes assim como a escassez de produtos, o que gera filas intermináveis para comprar comida sem saber se conseguiram adquirir algo. O dinheiro diminui a cada dia e a insegurança entre as pessoas só tende a aumentar.

CONTINUAR LENDO