cão de duas cabeças de Vladimir Demikhov

Vladimir usou dois cães, um mastiff adulto que foi enxertado a cabeça e as patas dianteiras de um filhote de um mês.

Foi o primeiro transplante de cabeça feito por um cientista russo.

O transplante foi um sucesso e no dia seguinte à intervenção, a mídia anunciou o sucesso do experimento e até mesmo uma filmagem de todo o processo da operação e do resultado subsequente. Estes experimentos extremos serviram para dominar dezenas de técnicas de sutura vascular, embora muitos os considerem desnecessários e horríveis .

Experimento de tabaco em animais. (Atualmente ainda está sendo feito).

Consiste em bombear com fumaça que vai direto ao nariz de animais por muitas horas por dia.
Os efeitos secundários incluem perda de cabelo e / ou tumores.

Cães zumbis

No experimento, suas veias foram drenadas com sangue e misturadas com uma solução salina que baixou a temperatura corporal.
Os cadáveres voltaram à vida, devolvendo o sangue aos corpos e dando-lhes oxigênio e choques elétricos para reiniciar seus corações.

Os problemas que alguns cães tiveram ao passar por este experimento foram comportamentais, físicos e mentais.

Este experimento para dar avanços médicos na geração de curas para órgãos inúteis .

A cadela do astronauta .

Era um cão espacial soviético que se tornou o primeiro ser vivo a ir ao espaço .

A missão era enviar o cachorro para o espaço para testar a segurança das viagens espaciais em seres humanos.
Infelizmente, o cão morreu horas após o lançamento devido ao superaquecimento do navio. Sendo assim, também o primeiro ser vivo em morrer no espaço .

O cão  Sergei Brukhonenko

Este experimento consistiu em manter a cabeça de um cachorro vivo através de uma máquina piloto que ele havia inventado esse cientista. O cão respondeu a estímulos e se moveu um pouco, drenado com sangue e reinicia a máquina para dar vida novamente.

Vivisection do gato.

A vivificação é realizar experimentos com animais vivos, no caso dos gatos, era muito comum que os cientistas os usassem para realizar suas experiências para fins médicos.

CONTINUAR LENDO
Olá! Eu me chamo João Pedro, tenho 17 anos, gaúcho e estou cursando o ensino médio, a algum tempo me dedico ao conhecimento e a busca por notícias e entretenimento. Também sou idealizador do projeto Olhar Online.