1. Nunca chegamos ao manto

Sismólogos acreditam que o núcleo interior do nosso planeta é sólido, enquanto o externo é líquido e fundido. Em seguida, o manto, sobre o qual a crosta está deslizando. No entanto, ainda não temos ideia do que consiste, pois nunca chegamos a ele: a profundidade é de 30 a 2.900 km, e a maior profundidade que o ser humano já alcançou, é o furo da Kola, na Rússia, que tem apenas 12,3 km de profundidade.

 

2. Os polos magnéticos podem mudar

Os pólos magnéticos da Terra podem se mover e até mesmo mudar a direção, e os cientistas descobriram que isso aconteceu muitas vezes. A última mudança aconteceu há 10 milhões de anos e provavelmente ocorrerá novamente, mas ninguém sabe o porquê.

3. Nós tínhamos duas luas

Os astrônomos dizem que a Terra tinha dois satélites cerca de 4,6 milhões de anos atrás. O segundo tinha cerca de 1.200 km de distância e seguiu a mesma órbita que a Lua faz até que colidiram. Tal cataclismo pode explicar por que os dois lados da Lua são tão diferentes.

4. Terremotos lunares

Por sinal, poucos sabem que há terremotos na Lua também. Ao contrário dos nossos, eles não são tão poderosos e ocorrem muito raramente. Há uma teoria de que eles acontecem por causa das forças de maré do Sol e da Terra, bem como a queda de meteoritos.

5. A Terra gira bem rápido

A Terra gira a 1.600 km/h, e, seu movimento de translação é ainda mais rápido, 108.000 km/h. Nós, porém, só podemos sentir o movimento quando sua velocidade muda. Graças à velocidade constante e da força da gravidade, não sentimos isso.

6. O tempo está crescendo

Há 620 milhões de anos, um dia na Terra durava 21,9 horas. A Terra está diminuindo gradualmente, mas acontece a uma taxa de cerca de 70 milissegundos por 100 anos, então demoraria 100 milhões de anos para um dia para durar 24 horas.

7. Gravidade estranha

Nosso planeta não é uma esfera, então existem áreas de gravidade alta e baixa. Uma dessas anomalias é a Baía de Hudson no Canadá. Os cientistas descobriram que a fraca gravidade é devido à baixa densidade da Terra devido ao rápido derretimento das geleiras.

8. Os extremos de temperatura da Terra

O lugar mais quente do planeta está em Al Aziziya, Líbia, com temperaturas que chegam a 58°С. O mais frio é o continente Antártico, onde vai até -73°С. Mas a temperatura mais baixa já observada foi registrada na estação russa Vostok em 21 de julho de 1983 (-89.2°С).

9. O planeta está gravemente poluído

Esta não é exatamente uma novidade. No entanto, os astronautas dizem que, em 1978, a visão da Terra era bastante diferente disso que vemos agora. Com muitos destroços espaciais e resíduos, nosso planeta azul-verde-branco está ficando marrom-cinza-preto.

10. A Terra consiste em ferro, oxigênio e silício.

Se separássemos os elementos que constituem nosso planeta, seria assim: 32,1% de ferro, 30,1% de oxigênio, 15,1% de silício e 13,9% de magnésio. A maior parte do ferro (cerca de 90%) está contida no núcleo, enquanto a crosta contém, em maior parte, oxigênio (47%).

11. A Terra era roxa

As plantas antigas usavam retinaldeído em vez da clorofila para absorver a luz, o que os fazia refletir de volta ao vermelho e ao azul, não ao verde, dando roxo como resultado. Aliás, certas bactérias ainda utilizam retinaldeído.

12. Um oceano escondido

Os cientistas encontraram uma enorme piscina abaixo da superfície da Terra em 410-660 km. Tem 2,7 bilhões de anos e foi encontrado graças à ringwoodita (um mineral) contida no manto. A água está sob imensa pressão, e seu volume é suficiente para preencher três vezes todos os oceanos da Terra. Isso deu origem a uma teoria de que os oceanos apareceram devido a uma explosão subterrânea do oceano.

CONTINUAR LENDO